Depoimento: Minha experiência com as drogas

Estou compartilhando com vocês o meu depoimento emocionado e verdadeiro. Fui até o limite. Fiz coisas que muitas pessoas me perguntavam “Nossa!! Como você fez isso, meu Deus?”. É a minha história real e desejo que ninguém passe pelas mesmas coisas.

“Nossa!! Como você fez isso, meu Deus?”

Realmente o HTML não é uma linguagem de programação. Mas digo por experiência própria que esta é a porta de entrada para o (sub)mundo do desenvolvimento. Eu comecei assim, com HTML puro, e sem nem perceber já estava envolvido com o tal do CSS.

Chega uma hora em que o HTML e CSS produzem um efeito legal quando renderizados. Mas acredite: só ver resultados bonitinhos na tela não dura muito tempo.

Tive que me aventurar por novas linguagens. Me falaram sobre Javascript numa conversa na rodinha de amigos. Pensei, pensei, pensei e resolvi arriscar a fazer meu primeiro código. Até que os efeitos me deixaram satisfeitos por um bom tempo, mas a esta altura eu já não queria sair de casa, nem acessar o Orkut ou ICQ. Eu só pensava em ver aquela tela em branco da IDE se enchendo de códigos e no final, naquele momento emocionante do F5, ter o resultado esperado.

O jQuery me manteve por um tempo mas confesso que as coisas realmente pioraram quando mexi com o PHP. Quem me falou foi um amigo de confiança, então eu resolvi experimentar. Sabe como é, né? Os amigos te chamando de noob, usuário, marcador…

Infelizmente eu não fui tão forte e logo na primeira vez já senti que de todas as linguagens, o PHP era a mais potente e a que produzia efeitos que eu já havia visto e ouvido falar mas nunca sentido! Fui me aprofundando, querendo mais, mais, mais e mais. Cheguei a usar todas as linguagens juntas mas descobri que ao separá-las, num processo chamado MVC, eu poderia utilizar e sentir ao máximo o potencial de cada uma!

A entrada do PHP foi realmente o fim. Já não encontrava com os amigos, larguei os esportes, redes sociais e todos os hobbies que tive um dia. Não sei mais o significado de dormir por 5 horas seguidas ou de um fim de semana sem nem uma linhazinha de código. Isso sem contar as doses cavalares de café!

Hoje, depois de 6 anos nessa vida, eu estou tentando parar. Claro que isso não é da noite para o dia!! Estou indo aos poucos. Vou delegando funções, tentando pensar em outras coisas. Estou há 3 dias sem programar. Cada minuto que passa é mais difícil que o outro. É preciso força! Então, se você não quiser ter uma história parecida com a minha, não chegue nem perto do HTML. Até mesmo um Ctrl + U numa página web pode ser o início de algo que você não consegue controlar.

Lucas Moreira.

Considerações:

  1. Me inspirei no texto Experiência com as drogas do Luiz Fernando Veríssimo (O texto original pode ser lido aqui).
  2. Um recado para o Veríssimo: me inspirei numa de suas obras.
  3. Nunca usei nenhum tipo de droga. Nem mesmo um cigarro! Então, qualquer semelhança com fatos reais é coincidência.
  4. Sou desenvolvedor web/mobile fullstack.
  5. Se você ainda não sabe programar, aprenda. É MUITO BOM! Essa vida eu não largo! (E não é uma droga!).
  6. Quando escrevi este texto eu tinha uns 6 anos de experiência em desenvolvimento. Hoje já são mais de 13 anos nessa área. Vale muito a pena.
  7. Falando de drogas (sim, aquelas drogas de verdade!). Não use-as! As drogas matam.

Contato

Vamos construir suas ideias.

Se você tem uma ideia que gostaria de tirar do papel ou se a sua empresa precisa de alguma das soluções que eu citei acima, fique à vontade para me contactar! Estou à disposição para tirar suas dúvidas e ajudar sua empresa a crescer.